fbpx
Capital

Vizinhos pedem abrigo para idoso que mora sozinho e sofre com alcoolismo

Morador foi encontrado desmaiado e resgatado pelo Samu hoje depois de três dias sem sair de casa

Casa onde Nelson Lucas Pereira, de 61 anos, foi resgatado pelo Samu hoje (Foto: Kísie Ainoã)

Na casa, só uma cama e uma geladeira vazia, rodeadas de muita sujeira. É onde o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) resgatou hoje (27) um idoso encontrado desmaiado pelos vizinhos, na rua Paranapebas, no bairro Jardim Columbia. Esse tipo de atendimento é comum, mas o que chama atenção nesse caso é que os vizinhos já não sabem mais o que fazer para chamar atenção das autoridades para a situação de Nelson Lucas Pereira, de 61 anos, que mora sozinho e sofre com o alcoolismo.

“Nenhum ser humano deveria passar por isso. É desumano”, resume a vizinha, a professora aposentada, Maria Aparecida de Lima, de 59 anos. Ela conta que o idoso sempre morou sozinho e nos últimos anos as consequências do alcoolismo se agravaram, por isso, há dois anos, já chamou assistentes sociais.

Vizinha de Nelson, professora aposentada Maria Aparecida de Lima, de 59 anos (Foto: Kísie Ainoã)
Vizinha de Nelson, professora aposentada Maria Aparecida de Lima, de 59 anos (Foto: Kísie Ainoã)

“Ele até chegou a ser atendido pela assistência social, mas precisa ir para um abrigo. Já pedimos essa providência. Ele fica sem banho, tem comida estragada em casa. Está muito magro e debilitado”, conta Maria Aparecida.

A auxiliar de limpeza Divaneide Lima, de 55 anos, lembra que Nelson era forte e sempre foi trabalhador, mas o alcoolismo o deixou nessa situação.

“Moro aqui e o conheço há 13 anos. Com o tempo se entregou à bebida e isso afetou a vida dele. Sempre foi sozinho, mas era muito comunicativo, só que de uns tempos para cá piorou a saúde dele. Como é sozinho, precisa de assistência, tinham que arranjar um abrigo para ele”, comenta.

Desta vez, Nelson já não era visto pelos vizinhos há três dias. Eles temem que o idoso morra sem assistência se continuar em casa. “As autoridades têm que fazer alguma coisa né, isso é se ele voltar do hospital”, lamenta Maria Aparecida.

Assistência Social – A SAS (Secretaria de Assistência Social) informou, por meio da assessoria de imprensa, que vai verificar este caso junto ao Creas (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) da região em que o idoso mora.

Além disso, a secretaria informou que faz parte do protocolo de atendimento buscar parentes que possam se responsabilizar pelos cuidados ao familiar. Se não houver familiares, a secretaria busca viabilizar uma unidade de acolhimento ao idoso, no entanto, ele não pode ser levado a força. É necessário que a pessoa aceite deixar sua casa e ir para a unidade.

Fonte

A URL curta deste artigo é: https://notadiaria.com.br/Vz258
Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo