fbpx
Esportes

Reservas do Palmeiras superam expulsão de Deyverson e empatam com o Bragantino

O Palmeiras vai para a fase final do Campeonato Paulista com a melhor campanha, melhor defesa (só três gols sofridos em 12 jogos) e também como único time invicto do torneio. Com os reservas, a equipe de Abel Ferreira empatou por 1 a 1 com o Red Bull Bragantino neste domingo. Na quarta-feira, o time alviverde vai enfrentar o Ituano, pelas quartas de final, às 21h30. O Bragantino, que já estava classificado como líder do Grupo D, vai enfrentar o Santo André também na quarta-feira.

Deyverson, autor do gol do Palmeiras, novamente foi o destaque polêmico do jogo. O atacante acabou expulso aos 37 minutos do segundo tempo, um minuto após ter convertido o pênalti que garantiu o empate. Motivo: reclamação com o árbitro.

Com a melhor campanha geral garantida até a final, o Palmeiras poupou quase todo o time titular. O único escalado foi Gustavo Gómez, que não jogará as quartas e uma eventual semifinal por ter sido convocado para a seleção paraguaia. Weverton vive a mesma situação, mas foi poupado.

O Bragantino começou melhor, explorando as jogadas aéreas, estratégia que resultou em cinco dos seus 18 gols na competição. Logo no início, Helinho quase fez um gol olímpico. O Palmeiras conseguiu equilibrar a partida a partir de uma de suas principais características: a marcação sob pressão na saída de bola do adversário.

Os dois times tiveram dificuldades para criar, pois sentiram falta de seus principais articuladores: Veiga (Palmeiras) e Hyoran (Bragantino). Com isso, ganharam força as jogadas pelos lados do campo. Foi pela esquerda que o time de Bragança abriu o placar. Após chute firme de Sorriso, o goleiro Marcelo Lomba espalmou e Helinho aproveitou para abrir o placar. Foi o segundo gol do ex-atacante do São Paulo no torneio.

Mesmo atrás no placar, os reservas do Palmeiras fizeram bom jogo no primeiro tempo. As melhores jogadas saíram pelo lado direito. Atuesta e Veron tiveram chance de finalizar após cruzamentos rasteiros, mas pararam na defesa rival.

No início do segundo tempo, o time da capital conseguiu novas finalizações. Nem todas no alvo. Embora o time tenha a mesma dinâmica do titular, com marcação na saída do rival e velocidade na transição para o ataque, a equipe falhou no lado emocional. A ansiedade do atacante Navarro para fazer seu primeiro gol pelo clube, por exemplo, atrapalhou aos 22. Na cara do goleiro, ele chutou fraco e perdeu a chance de empatar.

Navarro não se abateu. Em uma disputa com o goleiro Maycon, o atacante foi derrubado – pênalti marcado com auxílio do árbitro de vídeo. Deyverson cobrou e empatou. Na comemoração, o herói do título da Libertadores dançou e chorou – ao longo da semana, o atacante usou as redes sociais para indicar uma possível saída do clube.

Minutos depois, o atacante reafirmou sua face mais polêmica. Depois de uma falta, ele reclamou acintosamente com o árbitro Flavio Rodrigues Souza e acabou expulso. Em poucos minutos, Deyverson bateu o pênalti de empate, comemorou, chorou, fez uma falta, xingou o árbitro e acabou expulso.

Com um a menos, o time do Palmeiras sofreu nos minutos finais. O Bragantino foi para cima. Na melhor chance, Lomba salvou após chute de longe de Bruninho e garantiu a invencibilidade do time no torneio.

Fonte

A URL curta deste artigo é: https://notadiaria.com.br/X8Yhj
Mostre mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo