fbpx
Interior

Promotor que lutava contra narcotráfico é assassinado durante lua de mel

Paraguaio Marcelo Pecci foi morto com três tiros em praia de Cartagena das Índias, na Colômbia

O promotor Marcelo Pecci durante entrevista sobre luta contra o crime organizado (Foto: ABC Color)
O promotor Marcelo Pecci durante entrevista sobre luta contra o crime organizado (Foto: ABC Color)

O promotor de Justiça do Paraguai Marcelo Pecci foi executado nesta terça-feira (9) em Cartagena das Índias, na Colômbia, onde estava em viagem de lua de mel. A morte foi confirmada pela embaixadora do Paraguai naquele país, Sofía López Garelli.

Ele comandava as ações do Ministério Público paraguaio contra o crime organizado, narcotráfico, lavagem de dinheiro e financiamento de terrorismo. Pecci atuava inclusive no combate aos cartéis que dominam o tráfico de drogas na fronteira do Paraguai com Mato Grosso do Sul.

Segundo informações preliminares divulgadas pela imprensa paraguaia, Marcelo Pecci e a esposa estavam em uma praia de Cartagena onde é possível chegar apenas de barco. Ele teria sido alvejado por três tiros. O promotor e a jornalista Claudia Aguilera se casaram no dia 30 do mês passado.

Marcelo Daniel Pecci Albertini esteve à frente das principais operações contra o crime organizado deflagradas nos dois três anos no Paraguai. A principal delas é a “Ultranza PY”, que desmantelou o gigantesco esquema de envio de cocaína em navios para a Europa.

Empresários, políticos e pessoas ligadas à igreja evangélica foram presos e outras ainda estão sendo procuradas após a apreensão de aviões, caminhões, rebanhos bovinos, carros superesportivos, iates e dezenas de imóveis.

Ele também atuava nos grandes casos ocorridos na linha internacional. O mais recente foi a chacina de quatro pessoas em Pedro Juan Caballero, em outubro do ano passado. Até agora o crime não foi totalmente esclarecido.

Fonte

A URL curta deste artigo é: https://notadiaria.com.br/bnTuI
Mostre mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo