fbpx
Polícia

Polícia Civil investiga pessoas que divulgaram foto de vítima de suicídio – POLÍCIA CIVIL

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Brasilândia (MS): A Polícia Civil, através da Delegacia de Polícia de Brasilândia, instaurou Inquérito Policial para apurar a conduta de algumas pessoas que divulgaram, em grupos do aplicativo WhatsApp, fotos de uma mulher vítima de suicídio, ocorrido na manhã desta sexta-feira (08). 

 

O corpo da mulher foi encontrado no fundo de sua casa, suspenso por uma corda, por colegas de serviço da vítima. As testemunhas acionaram a Polícia Militar, que se dirigiu ao local e fez o isolamento até a chegada do Delegado de Polícia e peritos criminais. Algumas das pessoas que tiveram acesso ao local tiraram fotos da cena de crime, e as divulgaram em grupos do aplicativo WhatsApp.

 

Após ser informada do ocorrido, a Polícia Civil conseguiu identificar uma mulher que fez a fotografia que está circulando nas redes sociais. Seu aparelho celular foi apreendido e será submetido a exame pericial. Outras duas pessoas que replicaram a mesma fotografia também foram identificadas. Além das pessoas que compartilharam as imagens e que já foram identificadas, os administradores dos grupos de mensagens do aplicativo  nos quais as fotos foram divulgadas, também podem ser responsabilizadas.

 

O fato pode caracterizar o crime disposto no artigo 312 do Código penal (vilipendio a cadáver), cuja pena pode alcançar três anos de reclusão. Além disso, serão disponibilizados os dados da investigação aos familiares da vítima para que possam ingressar com ações de indenização por dano moral.

 

A Polícia Civil solicita que quem possua informações sobre esse fato ou qualquer outra modalidade criminosa faça a denúncia através do (67) 999879169 ou (67) 999195990. 

 

Texto: acadêmica Fernanda Müller 

Fonte

Mostrar mais

Redação

INFORMAÇÕES DE CONTATO --- Ligar (67) 99257-2652 --- m.me/NotaDiariabr --- contato@notadiaria.com.br --- https://notadiaria.com.br/

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios