Polícia

Paraguaio é assassinado com mais de 50 tiros na fronteira

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Noite de segunda-feira (18), violenta em Ponta Porã, na fronteira com o Paraguai. Pistoleiros atacaram na Avenida Brasil, centro da cidade, uma caminhonete Toyota Hilux, que tinha como condutor o paraguaio Jorge Henrique Fernandes de 27 anos, e o passageiro Everson Mereles Escobar de 26. Segundo o boletim de ocorrência, o motorista foi abordado com mais de 50 disparos de fuzil calibre 7.62.

De acordo com o SIG (Setor de Investigações Gerais) e agentes da Polícia Técnica, a dupla foi atacado quando chegava acompanhado do segurança pessoal ao prédio “Itacolomi” onde residia com a esposa e o filho e teria notado a presença dos pistoleiros, mas não teve tempo de fugir do ataque.

As vítimas foram encaminhadas ao Hospital Regional, mas Jorge não resistiu aos ferimentos e faleceu. Já Everson, passou por cirurgia e o quadro de saúde é considerado grave.

Ainda de acordo com a polícia, em maio de 2016, Jorge já teria sofrido um atentado quando transitava a bordo de um veículo Fiat, modelo Strada, no centro de Pedro Juan Caballero. Para a polícia, ele tinha ligação com Jarvis Chimenez Pavão, por isso, não é descartada a hipótese de ajuste de contas.

Investigadores do SIG apoiados pelos agentes da Polícia Técnica recolheram várias evidências na região a fim de identificar o tipo de veículo utilizado pelos pistoleiros.

Carro encontrado

Já na manhã desta terça-feira (19), foi encontrado em Pedro Juan Caballero, por populares, um carro incendiado que segundo a Polícia Nacional do Paraguai, pode ter sido usado pelos pistoleiros durante o ataque da noite de ontem, em Ponta Porã.

De acordo com a imprensa paraguaia, o veículo VW/Jetta, com placas de São Paulo, estava a pelo menos 50 metros da linha internacional entre Pedro Juan e Ponta Porã.

O Corpo de Bombeiros Voluntários estiveram no local e apagaram o fogo. Investigadores da Divisão de Homicídios e da Polícia Técnica realizaram os trabalhos de praxe e posteriormente encaminharam o veículo ao pátio da Direção de Investigações de Casos Puníveis.

Ainda segundo os investigadores, no carro que provavelmente foi roubado em São Paulo, foi encontrado uma cápsula de munição do calibre 7.62 o que reforça a hipótese de que teria sido utilizado pelos pistoleiros que decidiram queimar o utilitário com o objetivo de apagar possíveis provas.

Investigadores do SIG (Setor de Investigações Gerais) da Polícia Civil, em Ponta Porã, também foram acionados. A investigação será realizada pelas polícias tanto do Paraguai, quanto da cidade princesinha dos ervais.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Fechar
Fechar