fbpx
Ciência e tecnologia

Para imagens do espaço sem nuvem, empresas criam satélite com IA

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na tera-feira (20), a Intel anunciou detalhes do primeiro satlite alimentado por inteligncia artificial a orbitar Terra. Em parceria com a Agncia Espacial Europeia (ESA) e a startup Ubotica, o projeto tem como objetivo monitorar o gelo polar e a umidade do solo, mas tambm deve resolver um desafio antigo da indstria espacial: o escurecimento de fotos tiradas de satlites por causa das nuvens.

O aparelho foi denominado CubeSat PhiSat-1 e tem o tamanho de um computador desktop. De acordo com as empresas, o dispositivo deve resolver este problema por meio da coleta de um grande nmero de imagens de partes visveis do espao. Em seguida, atravs da IA, as fotos cobertas pelas nuvens sero filtradas.

O satlite tem uma cmera hiperespectral, que capta a imagem por milhares de espectros de uma vez, e um processamento de IA integrado por meio do chip Intel Movidius Myriad 2.

Como o chip no foi projeta para orbitar, a equipe que montou o satlite teve de realizar a “caracterizao de radiao”, um processo em que ele passa por vrios testes para que se descubra possveis erros no processo ou desgastes no hardware.

O Myriad 2 passou por diversos testes e foi aprovado em todos. Um deles, que demorou quase 36 horas consecutivas, foi a detonao do feixe de radiao. Isso mostra que, possivelmente, ele esteja apto a ficar no espao sem passar por muitas modificaes.

O satlite tem o tamanho e o formato de um desktop. Foto: Intel

Aprendizagem do algoritmo

Para que o dispositivo funcione da forma planejada, o grupo de desenvolvimento treinou a Inteligncia Artificial para distinguir o que e o que no nuvem.

Nessa tarefa, a equipe usou dados de misses espaciais existentes e, atravs deles, o sistema vasculhou as imagens e filtrou as que contm nuvens, antes de enviar as fotos finais para a base.

Mesmo com a pandemia, os testes foram concludos em quatro meses e agora o grupo trabalha para colocar o aparelho em rbita.

Segundo as empresas, o PhiSat-2 deve levar outro chip Myriad 2 em rbita e um aplicativo de IA deve ser validado para operar o hardware durante o vo, usando uma interface simples de usurio.

Fonte: Venture Beat



Fonte

Mostrar mais

Redação

INFORMAÇÕES DE CONTATO --- Ligar (67) 99257-2652 --- m.me/NotaDiariabr --- contato@notadiaria.com.br --- https://notadiaria.com.br/

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios