fbpx
Educação e Tecnologia

Nova rede de fibra ótica vai integrar órgãos municipais para ampliar serviços

Serão conectadas mais de 400 localidades, oferecendo internet gratuita para mais de 100 pontos

Estimativa é que a partir da segunda metade deste ano o projeto de implantação tenha início. (Foto: Divulgação/PMCG)

A prefeitura de Campo Grande está preparando a implementação da Remav 2.0 (Rede Municipal de Alta Velocidade), em fibra ótica. Os recursos já foram garantidos junto ao governo federal.

O objetivo é utilizar a tecnologia para ampliar e otimizar a conectividade entre os órgãos, bem como a oferta de serviços digitais ao cidadão. Serão conectadas mais de 400 localidades, ultrapassando 500 km de cabeamento e a oferta de internet gratuita para mais de 100 pontos.

Além disso, a meta é proporcionar mais estabilidade na distribuição do sinal de internet, maior capacidade no tráfego de dados com menos interferências naturais (ventos, chuvas e tempestades), trazendo ao poder público mais economia com uma menor necessidade de manutenção da rede.

Há cinco anos, a Rede Municipal de Alta Velocidade interligava menos localidades e desamparava regiões mais distantes como distritos, escolas, unidades de saúde e centros de assistência social. A oferta de internet pública gratuita estava restrita apenas a duas localidades e as conexões por fibra ótica representavam uma pequena parte da rede.

Foram estabelecidas metas de investimentos e ações efetivas, nos últimos cinco anos, para melhorar o parque tecnológico do município, tornando Campo Grande umas das principais cidades inteligentes do país.

“Nossa gestão, desde o começo, sempre teve um olhar especial para a tecnologia e sabemos os impactos positivos que ela tem na vida da população e também dos servidores públicos”, declarou a prefeita Adriane Lopes (Patriota).

Dentre as ações destacam-se o apoio aos órgãos na aquisição de novos equipamentos de informática; a criação de um novo datacenter e ferramentas de segurança da informação; o desenvolvimento de novos sistemas, portais e aplicativos; mais localidades conectadas e novos pontos de internet pública gratuita; transformação digital em vários setores como saúde, educação, assistência social, previdência, finanças, zeladoria, ouvidoria, transparência, obras, compras públicas, dentre outros.

A segurança pública e a mobilidade urbana serão outros setores beneficiados com a possibilidade de ampliação dos serviços de videomonitoramento, gestão inteligente do trânsito e iluminação pública.

“Nosso planejamento no começo da primeira gestão já previa a ampliação de parte da nossa rede atual que usa tecnologia via rádio e do legado que existia em fibra. Hoje atendemos o dobro de locais em uma Remav 2.0 a nossa rede atual irá oferecer redundância nos serviços de conectividade para que o sinal esteja sempre disponível, podendo ser utilizada para ampliar a oferta de internet em localidades mais distantes”, explica o diretor-presidente da Agetec (Agência Municipal de Tecnologia da Informação e Inovação), Paulo Cardoso.

O projeto executivo foi concluído e está sendo utilizado pelas equipes da prefeitura para elaborar o documento técnico que irá subsidiar a licitação e a contratação da empresa para realizar os serviços. A estimativa é que a partir da segunda metade deste ano o projeto de implantação tenha início.

Fonte

A URL curta deste artigo é: https://notadiaria.com.br/U5hIM
Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo