Emprego‎

MS fecha primeiro semestre de 2019 com saldo de 15,332 novas vagas no mercado de trabalho-Ponta Porã informa-notícias de Ponta Porã-MS e Pedro Juan Caballero

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Outro destaque foi o desempenho do setor agropecuário, com 488 novas vagas

26/07/2019 06h40-portal do MS

Mato Grosso do Sul fechou o primeiro semestre de 2019 com um saldo de 15,332 novas contratações com carteira assinada. Dessas, 898 foram geradas em junho deste ano, o melhor desempenho para o mês desde 2014 e três vezes maior que junho de 2018. As informações são do boletim do cadastro geral de empregados e desempregados (CAGED), divulgado nesta quinta-feira (25,7) pelo Ministério da economia.

No mês de junho deste ano, os setores que obtiveram o melhor desempenho foram: serviços (590), comércio (449) e a Agropecuária (488). No acumulado do ano, o setor de serviços foi responsável por 67, 7% da geração de emprego, com 10,385 novas vagas e a agropecuária, 2,626. Entre os municípios, três lagoas liderou o ranking de contratações com carteira assinada no mês de junho, com 270 novas vagas, seguido por dourados (171), Ponta Porã (144), Naviraí (79) e Amambai (52).

“Nossa grande preocupação se chama desemprego, então, qualquer número positivo que nós vamos no no âmbito da economia, deve ser comemorado. O setor de serviços tem se destacado como o que mais puxa as vagas no estado, sendo responsável por quase 70% do total das contratações no primeiro semestre. Ao mesmo tempo, ele tem uma volatilidade maior. No mês de junho, o comércio obteve um crescimento significativo, com 449 novas vagas, onde observamos uma predominância do setor atacadista. É um fator positivo, facilmente de ser verificado pois tivemos a instalação de novos atacadistas em três lagoas e campo grande “, comentou o Secretário Jaime Verruck, da Semagro (Secretaria de meio ambiente, desenvolvimento econômico, produção e agricultura Familiar).

Outro destaque foi o desempenho do setor agropecuário, com 488 novas vagas, “num reflexo direto da supersafra de milho”, prevista em 10 milhões de toneladas “. Sobre o desempenho dos municípios, o Secretário citou o caso de dourados, que é influenciado pelo crescimento da suinocultura e pela fase final de implementação da indústria da Coamo, investimento captado pelo governo do estado. “Em dourados, a JBS tem ampliado sistematicamente o abate de suínos e a Coamo começa a fazer as contratações para os funcionários que vão operar a indústria”, comentou o titular da Semagro.

A preocupação, segundo Jaime Verruck, foi o recuo nas contratações da construção civil e da indústria de transformação. “A construção civil, quando aquecida, contribui de forma fundamental na redução do desemprego, mas o país ainda não avançou nas ações necessárias para A retomada do crescimento do setor. Na indústria de transformação, estamos sentindo os efeitos do fechamento do frigorífico em Paranaíba e da unidade da PepsiCo “, finalizou.



Fonte link

Etiquetas
Mostrar mais

Redação

INFORMAÇÕES DE CONTATO --- Ligar (67) 99257-2652 --- m.me/NotaDiariabr --- contato@notadiaria.com.br --- https://notadiaria.com.br/

Artigos relacionados

Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios