fbpx
Capital

“Me deu todos os motivos”, diz ex que matou mulher na frente dos filhos

Pedreiro de 45 anos afirmou que não estava arrependido do crime quando foi interrogado pela polícia

Fabiano foi preso e levado para a Deam, onde foi ouvido pela polícia. (Foto: Paulo Francis)
Fabiano foi preso e levado para a Deam, onde foi ouvido pela polícia. (Foto: Paulo Francis)

O depoimento do pedreiro Fabiano Querino dos Santos, de 35 anos, impressiona pela frieza ao falar do crime brutal no Bairro Parque do Lageado, em Campo Grande, na última quarta-feira (16 de março). Para a polícia, além de dizer que preferiu matar a ex-esposa do que bater, ele alega que a vítima deu todos os motivos para ser assassinada.

Fabiano foi encontrado na manhã desta sexta-feira (18), dois dias depois do crime, escondido em uma residência na cidade de Ribas do Rio Pardo, a 98 quilômetros da Capital. Ele será mantido atrás das grades por força de um mandado de prisão preventiva, pedido na quinta-feira (17) e acatado pela Justiça.

Ao ser interrogado na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), Fabiano contou que a relação com Eloísa Rodrigues de Oliveira, de 36 anos, estava “estremecida”, porém o casal não estava separado.

Fabiano contou que estava trabalhando na cidade de Aquidauana e retornou para Campo Grande na data do crime, quarta-feira (16). Eloísa ligou para avisar que o filho do casal, de um ano, passaria por cirurgia. Então depois da cirurgia eles se encontraram no ônibus, desceram no ponto do Parque do Lageado para pegar os outros filhos de Eloísa na babá  e seguiram para casa.

O casal ficou na sala do imóvel, segundo Fabiano, quando questionou sobre suas roupas e calçados, pois não havia encontrado no local de costume. Eloísa teria respondido que a casa foi invadida no dia anterior, momento em que Fabiano alega ter ficado desconfiado de uma “traição”. Segundo ele, em dias anteriores ouviu disparos contra o imóvel e alguém gritando: “você é machão para bater em mulher, então sai aqui para resolver comigo”.

O homem também disse que se sentiu humilhado, porque a vítima pediu para que saísse da residência e inventava aos vizinhos que era agredida por ele. Então, sem qualquer discussão, pegou uma faca na pia e passou a golpeá-la na barriga, na frente das três crianças. Para ele, seria “melhor matar do que bater”.

Depois, afirma que saiu tranquilamente do imóvel e deixou a faca. Ficou em um matagal nas imediações da casa até a manhã do dia seguinte, quando seguiu de van até a cidade de Ribas do Rio Pardo, onde foi preso ontem.

Questionado se estava arrependido do crime, friamente disse que a vítima teria dados todos os motivos para ser morta, alegando ter sido traído. Segundo Fabiano, “provavelmente por um amante ou comedor”, pois Eloísa aparecia com presentes não compatíveis com seu salário.

O crime – Eloísa foi esfaqueada na frente dos três filhos na casa onde morava, na Rua Manoel Marcelino Rodrigues, no Bairro Parque do Lageado, na noite da última quarta-feira (16). Uma das filhas, de 5 anos, foi quem saiu na rua pedindo socorro. Logo em seguida, a mulher saiu ensanguentada da casa.

Eloísa foi socorrida por uma vizinha, que tentou estancar os ferimentos até a chegada da ambulância. Depois, foi levada para a Santa Casa, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no início da tarde do dia seguinte, quinta-feira (17).

A vítima já havia registrado inúmeros boletins de ocorrência contra o agressor.

Fonte

A URL curta deste artigo é: https://notadiaria.com.br/366f5
Mostre mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo