fbpx
Política‎

Há cinco anos a política catarinense perdia Luiz Henrique da Silveira

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Atualizado

Há cinco anos, no dia 10 de maio, Santa Catarina recebia uma notícia que parecia difícil de acreditar. Homem forte, líder político dominante e influenciador da política catarinense e brasileira, Luiz Henrique da Silveira morreu aos 75 anos, em uma tarde chuvosa de Dia das Mães, em Joinville, Norte do Estado e seu berço político.

Imagens: Divulgação

Luiz Henrique da Silveira disputou 12 eleições na carreira – Foto: José Cruz/Agência Senado/ND

Prefeito da maior cidade por três vezes, as obras de Luiz Henrique continuam icônicas na cidade que viu o Centreventos Cau Hansen, imponente, se tornar a casa do maior festival de dança do mundo, de conquistas esportivas e de tantos outros eventos. A única escola do Teatro Bolshoi fora da Rússia também foi “presente” de Luiz Henrique para Joinville.

Com o número 15 cravado na sua história, Luiz Henrique da Silveira era a cara do, então, PMDB catarinense. Foram mais de quatro décadas com o 15 estampado em campanhas e mais campanhas. Vitorioso na maioria dos pleitos que disputou, LHS enfrentou 12 eleições e, ano após ano, construiu uma carreira política que deixou marcas na história do Estado e pavimentou o caminho de tantos outros nomes fortes de Santa Catarina.

Prefeito de Joinville, deputado estadual, deputado federal, governador do Estado, senador e ministro de estado da Ciência, Tecnologia e Inovação. Os cargos foram construindo a história política de Luiz Henrique ao longo dos anos e ele foi construindo a história catarinense na política para sempre.

Influente, forte e imponente, LHS não escreveu apenas a sua história, que segue lembrada cinco anos após a sua morte por uma parada cardíaca. A fama que carregava não era à toa. “A mão do senador decide eleições”. E decidiu muitas. Considerados sucessores e apadrinhados de Luiz Henrique, diversos outros políticos construíram sua carreira tendo, ao lado, a figura de LHS.

Em Joinville, seu berço, Luiz Henrique alçou o empresário Udo Döhler à prefeitura depois de já ter deixado, como sucessor, seu vice Marco Tebaldi. A lista de sucessores tem ainda Raimundo Colombo e Mauro Mariani.

Blumenauense de nascimento, Luiz Henrique da Silveira era joinvilense de coração e de formação política.

Sua morte emocionou o Estado e fez multiplicar as homenagens, lembranças, atos políticos e a adoção de outros políticos ao estilo forte e articulador de LHS.

Dois livros contam a história do nome mais forte da política catarinense. “Quarentage”, de Joel Gehlen e Álvaro Junqueira e “Luiz Henrique da Silveira: Transformando Sonhos em Realidade”, de Moacir Pereira.



Fonte

Mostrar mais

Redação

INFORMAÇÕES DE CONTATO --- Ligar (67) 99257-2652 --- m.me/NotaDiariabr --- contato@notadiaria.com.br --- https://notadiaria.com.br/

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios