fbpx
Geral

Ex-aluna ingressa na 1ª turma de escola científica nacional

Técnica em Informática formada em Corumbá, Thaynara de Matos concorreu com mais de 900 de candidatos para ingressar na Ilum – Escola de Ciência

  • Thaynara é uma das alunas do bacharelado em Ciência, Tecnologia e Inovação – Foto: Correio Popular de Campinas

  • Na Ilum, estudantes têm acesso aos principais laboratórios nacionais – Foto: Arquivo Pessoal

A jovem Thaynara Beatriz Selasco de Matos, 18, técnica em Informática formada pelo Campus Corumbá do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS), foi selecionada, entre 943 candidatos, para ingressar na primeira turma da Ilum – Escola de Ciência, que começou a funcionar este ano em um dos principais complexos científicos do país, em Campinas (SP).

A conquista garantiu a Thaynara uma das 40 vagas no bacharelado em Ciência, Tecnologia e Inovação. Desde o início de março, a filha de comerciantes, que nasceu e morou a vida toda na cidade pantaneira, faz faculdade no interior paulista.

Foram avaliados no processo seletivo, entre outros itens, uma manifestação de interesse em que os candidatos deveriam redigir um texto contando experiências pessoais e escolares e os motivos que os levaram a querer estudar na Ilum, além da nota no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e de uma entrevista com a comissão de avaliação.

Quando eu entrei no IFMS, fui bombardeada com oportunidades, a instituição abre muitas portas. Ter tido contato com várias esferas da ciência no ensino médio certamente foi um diferencial”, comenta Thaynara.

As vivências no Instituto Federal, na opinião da estudante, fizeram a diferença em todas as etapas da seleção.

“Quando eu entrei no IFMS, fui bombardeada com oportunidades, a instituição abre muitas portas. Participei das aulas de Astronomia, clubes de estudo, e de olimpíadas de Química, Informática, Física, Matemática e Ciências. Ter tido contato com várias esferas da ciência no ensino médio certamente foi um diferencial”, comenta.

Durante a formação no IFMS, Thaynara foi medalhista de prata na Olimpíada Brasileira de Astronomia (OBA) e desenvolveu um projeto de extensão que tinha como objetivo explicar tópicos avançados de ciência contemporânea a estudantes de 12 a 16 anos em linguagem adaptada e acessível.

Como Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), a jovem desenvolveu um estudo sobre a representação de mulheres em livros didáticos de Ciências da Natureza, que foi publicado em artigo e premiado com o segundo lugar na categoria Ciências Humanas da Feira de Tecnologias, Engenharias e Ciências de Mato Grosso do Su (Fetec/MS) em 2021.

“Mesmo com as mulheres sendo responsáveis por mais da metade da produção científica nacional, elas ainda são pouco citadas e referenciadas, mas os livros didáticos podem mudar essa realidade. Essa foi a reflexão que a gente tentou trazer. Não quero um futuro em que as mulheres continuem sendo apagadas”, pontua.

O projeto é um dos 15 finalistas do IFMS na edição deste ano da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), que segue em formato virtual até sábado, 26.

Para a orientadora de Thaynara e professora de Física do Campus Corumbá, Ana Cecília Soja, o ingresso da jovem na Ilum também é resultado da formação completa e multifacetada oferecida pelos Institutos Federais.

“Além do conhecimento teórico regular da educação básica, um estudante do ensino médio técnico integrado tem acesso à prática profissional, atividades de pesquisa e extensão, e oportunidades extracurriculares. Esse trabalho abrangente possibilita o desenvolvimento de habilidades como autonomia, disciplina e resiliência, cada vez mais valorizadas no mercado de trabalho e no ensino superior”, ressalta.

  • A orientadora, Ana Soja, e Thaynara no dia da formatura do técnico em Informática – Foto: Arquivo Pessoal

Ilum, Escola de Ciência – Idealizada e incubada no Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), é uma escola de ensino superior interdisciplinar em Ciência, Tecnologia e Inovação.

Além de abrigar o Sirius, um dos mais modernos aceleradores de elétrons do mundo, o CNPEM integra laboratórios nacionais de referência para pesquisas em saúde, energia renovável, ciências agroambientais, materiais renováveis e tecnologias quânticas.

“Sempre que posso falo sobre mulheres na ciência, e na Ilum eu posso ser essa cientista que tanto luto pelo reconhecimento. Que isso sirva de inspiração para outras meninas entrarem nesse universo”, finaliza Thaynara.

Com três anos de duração e gratuito, o bacharelado em Ciência, Tecnologia e Inovação oferecido pela Ilum tem aulas em período integral. Os estudantes têm moradia, transporte e alimentação custeados pela escola, e ainda recebem um computador para uso pessoal durante todo o curso.

Para a jovem sul-mato-grossense, ter ingressado na Ilum foi um passo importante para seguir na área da pesquisa.

“Sempre que posso falo sobre mulheres na ciência, e na Ilum eu posso ser essa cientista que tanto luto pelo reconhecimento. Eu me espelhei nessas mulheres e agora estou tentando ser essa pessoa reconhecida no futuro e que sirva de inspiração para outras meninas entrarem nesse universo”.

Todas as informações sobre a instituição estão disponíveis no site da Ilum, Escola de Ciência.

Fonte

A URL curta deste artigo é: https://notadiaria.com.br/NAcAi
Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo