Ciência e tecnologia

Estou de quarentena devido ao coronavírus. E agora?

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Se tiver sintomas de coronavírus Covid-19 como tosse, febre e dificuldade respiratória, e tiver regressado de uma área afetada ou contactado com um doente infetado, tem que contactar a Linha SNS24 (808 24 24 24 em Portugal continental e Madeira; 808 24 60 24 nos Açores). O primeiro-ministro António Costa também apelou a quem tenha sintomas, que permaneça em casa, enquanto o ministro da Economia Pedro Siza Vieira garantiu que qualquer trabalhador, seja do público ou do privado, será pago a 100% com se tivesse em baixa por internamento.

Graça Freitas, a diretora geral de Saúde, divulgou um primeiro cenário em que um milhão de portugueses poderia ser infetado pelo coronavírus, hipótese que acabou afastada. Porém, os casos de quarentena voluntária sucedem-se – seja por contacto com o escritor Luís Sepúlveda, ou com pessoas vindas de Itália. Se ficar em casa por suspeitas de coronavírus, sabe o que fazer?

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estabelece que a permanência em casa pode ser considerada para os pacientes com suspeita de coronavírus e sintomas ligeiros. Também podem ficar em casa pessoas que tenham sintomas mas não precisem de hospitalização e casos em que esta foi recusada, ou quando a capacidade dos hospitais é limitada.

Porém, segundo a OMS, ficam de fora as pessoas que sofram de doença pulmonar, cardíaca, falência renal ou problemas imunossupressores, o que as coloca em risco de complicações médicas. É sublinhada a necessidade de um contacto constante com um profissional de saúde.

Estou em casa de quarentena com suspeita de Covid-19. O que faço eu e o meu cuidador?
A OMS dá várias recomendações aos pacientes e seus familiares ou próximos:

 – O paciente deve ser mantido numa sala bem ventilada – ou seja, com janelas e portas abertas;

– Os movimentos do paciente na casa devem ser limitados, bem como o seu uso de espaços comuns. Estes últimos – a cozinha, a casa de banho – devem estar bem ventilados.

 – Quem vive na mesma casa deve ficar num quarto diferente ou, se isso não for possível, manter-se à distância de pelo menos um metro da pessoa doente. Se for um casal, devem dormir em camas separadas.

 – O número de cuidadores deve ser limitado a uma pessoa que esteja de boa saúde e não tenha doenças crónicas ou que comprometam o sistema imunitário. Não devem ser permitidos visitantes.

 – Depois do contacto com o paciente ou com o que está ao seu redor, devem lavar-se as mãos. O mesmo deve ocorrer antes e depois de preparar refeições, antes de comer, depois de usar a casa de banho e sempre que as mãos estejam visivelmente sujas. Se não estiverem, pode ser usada solução alcoólica. Se sim, é preferível recorrer a água e sabão.

 – Ao lavar as mãos com sabão e água, é preferível usar toalhas descartáveis, de papel, em mãos secas. Se não estiverem disponíveis, use toalhas de tecido limpas e substitua-as quando ficarem molhadas.

 – As máscaras devem ser usadas pela pessoa sob suspeita e pelo seu cuidador. A do cuidador não deve ser tocada ou posta durante o contacto com o doente. Se ficar suja ou molhada devido a secreções, tem que ser imediatamente substituída. Segundo a OMS, a máscara deve ser deitada fora após o uso e as mãos devem ser logo lavadas.

 – Se é cuidador, evite o contacto direto com fluidos corporais, particularmente secreções orais ou respiratórias, e fezes ou urina. O uso de luvas descartáveis é recomendado, bem como a limpeza das mãos antes e depois de as utilizar.

 – Não reutilize máscaras ou luvas.

 – Use roupa de cama e utensílios para alimentação específicos para o paciente. Estes últimos devem ser limpos com sabão e água após o uso e podem ser reutilizados.

 – Limpe e desinfete as superfícies que sejam tocadas todos os dias pelo suspeito de ter Covid-19, como mesas-de-cabeceira, cabeceiras de cama e outro mobiliário de quarto. As superfícies de casa de banho devem ser limpas e desinfetadas pelo menos uma vez por dia. O uso de desinfetante com 0,5% de hipoclorito de sódio (lixívia) é aconselhado.

 – Limpe as roupas, as toalhas e a roupa de cama do paciente a entre 60ºC e 90ºC. Evite o contacto entre esta roupa e outras, bem como com a pele.

 – As máscaras, luvas e outro lixo gerado a cuidar do paciente devem ser colocados num caixote do lixo com tampa, dentro do quarto do paciente, antes de serem deitadas fora como lixo sanitário, frisa a OMS.

 – Não podem ser partilhadas escovas de dentes, cigarros, talheres, pratos, bebidas, toalhas ou roupa de cama entre o cuidador e o paciente.



Fonte

Etiquetas
Mostrar mais

Redação

INFORMAÇÕES DE CONTATO --- Ligar (67) 99257-2652 --- m.me/NotaDiariabr --- contato@notadiaria.com.br --- https://notadiaria.com.br/

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios