fbpx
Brasil e o Mundo

Covid: Com 830 novos óbitos em 24 horas, Brasil chega a 124.729 mortos

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Nas últimas 24 horas, o Brasil registrou mais 830 óbitos por covid-19. Desde o início da pandemia, 124.729 pessoas morreram em decorrência do novo coronavírus no país, de contrato com os dados de hoje do consórcio de veículos de prensa, do qual o UOL faz segmento.

Entre ontem e hoje, foram confirmados 44.728 novos diagnósticos da doença no país. Agora, são 4.046.150 testes positivos.

A média traste de mortes, que calcula os óbitos diários com base em registros feitos nos últimos sete dias, aponta 858 óbitos por dia, resultado considerado fixo em 14 dias (-13%).

Conforme o levantamento feito pelo consórcio, 12 estados e o Região Federalista tiveram desaceleração na média traste de mortes pela doença na variação de 14 dias, enquanto dois apresentaram subida.

Entre as regiões, unicamente o Nordeste (-25%) apresentou queda na variação de 14 dias em razão da doença provocada pelo novo coronavírus. Com exceção do Setentrião, as demais permaneceram com índices estáveis: Núcleo-Oeste (-10%) e Sudeste (-14%) e Sul (-14%).

O Setentrião apresentou subida novamente (38%), puxado pelos números do Amazonas, que registrou 9 óbitos contra 1 registrado há 14 dias. Desses, 6 ocorreram nas últimas 24 horas, segundo a Instauração de Vigilância em Saúde do Amazonas, responsável pelo balanço no estado. O restante se deve a óbitos de meses anteriores que foram reclassificados pela Secretaria Municipal de Saúde de Manaus uma vez que óbitos por covid-19.

Também houve revisão de óbitos em Pernambuco, que registrou números negativos (-37), pois foram removidos 65 casos de mortes de pessoas que não são residentes do estado e que haviam sido registrados originalmente pela Secretaria de Saúde.

Veja a oscilação nos estados:

  • Aceleração: AM e TO
  • Firmeza: AP, CE, GO, MA, MS, MT, PA, PR, RR, RO, RS e SP
  • Queda: AC, AL, BA, DF, ES, MG, PB, PE, PI, RN, RJ, SC e SE

Dados do governo federalista

O Ministério da Saúde contabilizou nas últimas 24 horas 834 novos óbitos por covid-19 no país, totalizando 124.614 mortes.

De contrato com os dados do governo federalista, hoje o Brasil chegou a 4.041.638 casos da doença, dos quais 43.773 foram confirmados entre ontem e hoje.

Bolsonaro assinou lei que prevê obrigatoriedade da vacina

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem se manifestado contra a obrigatoriedade de uma eventual vacina para covid-19, mas uma lei sancionada em fevereiro prevê a imunização compulsória da população.

O artigo 3º da lei nº 13.979/20 diz o seguinte: “Para enfrentamento da emergência de saúde pública de valor internacional de que trata esta Lei, as autoridades poderão adotar, no contexto de suas competências, entre outras, as seguintes medidas: I – isolamento; II – quarentena; III – formalidade de realização compulsória de: a) exames médicos; b) testes laboratoriais; c) coleta de amostras clínicas; d) vacinação e outras medidas profiláticas; ou e) tratamentos médicos específicos”.

Além de Jair Bolsonaro, o texto foi assinado por Sérgio Moro, logo ministro da Justiça e Segurança Pública, e Luiz Henrique Mandetta, na estação responsável pela Saúde.

Veículos se unem pela informação

Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o aproximação a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de informação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, O Mundo, G1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa para buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

O governo federalista, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a natividade proveniente desses números, mas atitudes recentes de autoridades e do próprio presidente colocam em incerteza a disponibilidade dos dados e sua precisão.

Fonte

Mostrar mais

Redação

INFORMAÇÕES DE CONTATO --- Ligar (67) 99257-2652 --- m.me/NotaDiariabr --- contato@notadiaria.com.br --- https://notadiaria.com.br/

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios