fbpx
Ciência e tecnologia

“Ciência pode salvar biodiversidade”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O uso da ciência por populações extrativistas e do degrau mais baixo da cadeia do agronegócio pode ajudar a salvar a biodiversidade, segundo diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Guy de Capdeville. Ele se reuniu com pesquisadores do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 

“A ciência quer ir até as populações extrativistas, populações que vivem em extrema miséria e possibilitar que essas, por meio de tecnologias, possam se reunir e formar cooperativas e associações que promovam o desenvolvimento sustentável em suas regiões. É importante que essas populações que sobrevivem do extrativismo se reúnam, formem cooperativas, melhorem de vida e nós temos condições de fortalecer os agricultores familiares. 

Para o diretor é imprescindível que uma instituição de pesquisa como a Embrapa atue com as comunidades pobres dos diferentes biomas do Brasil. O embaixador da União Europeia (UE) no Brasil, Ignacio Ibañez, reforçou o comprometimento desse organismo com iniciativas estratégicas.  

A Embrapa disse que essa parceria entre os órgãos é a porta de entrada da segunda etapa do projeto Diálogos Setoriais, promovido pela União Europeia, Ministério de Economia, Ministério de Relações Exteriores, Embrapa, PNUD e GEF (equipe do projeto Bem Diverso). “A ideia enriquecer os diálogos ocorridos com diferentes setores em uma primeira etapa, promovendo uma dinâmica de cooperação e discussão de temas relacionados ao uso sustentável e conservação da biodiversidade. A base disso são as experiências europeias e brasileiras”, completa. 

Fonte

Mostrar mais

Redação

INFORMAÇÕES DE CONTATO --- Ligar (67) 99257-2652 --- m.me/NotaDiariabr --- contato@notadiaria.com.br --- https://notadiaria.com.br/

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios