Após reunião, Petrobras deve lançar novo edital da venda da UFN3 até junho

Previsão foi dada hoje ao governador Reinaldo Azambuja pelo diretor da estatal, José Mauro Coelho

Obra da fábrica, iniciada em 2011, já está 81% concluída (Foto/Divulgação)

O novo edital para licitação da venda da Unidade de Fertilizantes Nitrogenados III (UFN3), em Três Lagoas, será lançado até junho. Segundo informações do governo do Estado, a garantia foi dada hoje, após reunião do governador Reinaldo Azambuja com o presidente da Petrobras, José Mauro Coelho, no Rio de Janeiro (RJ).

A reabertura do edital é consequência do cancelamento da negociação entre a Petrobras e a empresa russa Acron. Agora, a previsão é que a negociação possa ser fechada ainda em 2022 para que as obras sejam retomadas em 2024.

Na reunião, ainda estavam presentes a deputada federal e ex-ministra da Pecuária e Agricultura, Tereza Cristina Corrêa e o titular da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), Jaime Verruck.

Deputada Tereza Cristina, diretor da Petrobras, José Mauro Coelho, governador Reinaldo Azambuam e secretário Jaime Verruck em reunião, hoje (Foto/Divulgação)

“A gente pediu para que eles fizessem um cronograma para que isso se resolvesse dentro de 2022 para que no próximo ano pudessem ser retomadas as obras da fábrica. O presidente garantiu celeridade nesse processo porque ele entende a importância da UFN3 no cenário nacional da produção de fertilizantes”, disse o governador.

De acordo com Reinaldo, várias empresas estão interessadas na compra da unidade e que algumas já entraram em contato com governo do Estado para obter informações sobre os incentivos fiscais concedidos para ativação da indústria.

Na reunião com a diretoria da estatal, a comitiva sul-mato-grossense ainda sugeriu que o edital de venda da fábrica determine que o comprador utilize o GNL (Gás Natural Liquefeito) da Petrobras como matéria prima para a produção dos fertilizantes nitrogenados, explicou Verruck.

“É importante resolver essa equação do gás. Por isso fizemos essa proposta da opção da compra do combustível. E isso a Petrobras ficou de analisar”, ressaltou o secretário.

A fábrica – A construção da UFN3 em Três Lagoas teve início em 2011 e a obra foi paralisada em dezembro de 2014 com 81% de conclusão, após a Petrobras romper o contrato com o consórcio responsável pela obra. A estatal colocou a UFN3 à venda em setembro de 2017, alegando que não tinha mais interesse em seguir no segmento de fertilizantes.

Neste ano, uma empresa russa manifestou interesse na compra da fábrica. Negociações foram iniciadas, mas não concluídas porque o plano de negócios proposto pelo potencial comprador queria rebaixar a fábrica para uma indústria misturadora de fertilizantes, que não teve aprovação nem governo estadual, nem da prefeitura de Três Lagoas.

Fonte

A URL curta deste artigo é: https://notadiaria.com.br/sLaBM
Sair da versão mobile