fbpx
Brasil e o Mundo

Após acompanhar Bolsonaro, indicado à embaixada do Brasil nos EUA está com coronavírus

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Indicado para a embaixada do Brasil nos EUA, o diplomata Nestor Forster recebeu na noite desta sexta-feira (13) o diagnóstico de coronavírus.

Forster estava na comitiva do presidente Jair Bolsonaro que viajou a Miami de sábado (7) a segunda-feira (10) e se encontrou com o presidente dos EUA, Donald Trump, para um jantar em Mar-a-Lago, no sul da Flórida.

O diplomata já tinha decidido se colocar em quarentena nesta quinta-feira (12), depois que o secretário de Comunicação do Planalto, Fabio Wajngarten, havia sido confirmado com o coronavírus.

Aos 57 anos, Forster estava se sentindo bem e ainda não apresentava sintomas fortes quando retornou de Miami. Os resultados dos exames, porém, indicaram a presença do vírus e, por orientação médica, ele vai prolongar o período de isolamento por mais duas semanas.

Esse é o terceiro caso confirmado de coronavírus na comitiva de Bolsonaro. Além de Wajngarten e Forster, o senador Nelsinho Trad (PSD-MS) também afirmou que seu teste para o vírus deu positivo.

Forster, que já teve sua nomeação a embaixador aprovada ela Comissão de Relações Exteriores do Senado —falta o aval do plenário da Casa—, acompanhou Bolsonaro na maioria dos compromissos do presidente na Flórida e, na terça-feira (10), os dois tomaram café da manhã em uma sala reservada no hotel onde estavam hospedados em Miami.

O diplomata foi ao jantar com Trump e se sentou à mesa com os presidentes e mais nove convidados, entre eles, os ministros Augusto Heleno (GSI), Fernando Azevedo e Silva (Defesa) e Ernesto Araújo (Relações Exteriores), além do filho de Bolsonaro, Eduardo Bolsonaro, e da filha e do genro de Trump, Ivanka Trump e Jared Kushner.

Bolsonaro, por sua vez, afirmou nesta sexta que seu exame para o coronavírus deu negativo. O presidente brasileiro, no entanto, vai passar por um novo teste e se encontra em isolamento no Palácio da Alvorada.

Após a confirmação do caso de Wajngarten, a Casa Branca afirmou que Trump não faria o teste em razão do secretário brasileiro porque “quase não teve interação” com ele. A Folha questionou o governo americano sobre haver alguma mudança de posição a partir de agora, mas ainda não houve retorno.

Fonte

Mostrar mais

Redação

INFORMAÇÕES DE CONTATO --- Ligar (67) 99257-2652 --- m.me/NotaDiariabr --- contato@notadiaria.com.br --- https://notadiaria.com.br/

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios