fbpx
Ciência e tecnologia

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No texto, os autores afirmam que, at agora, se sabe que os pacientes graves desenvolvem problemas como sndrome da angstia respiratria aguda (SDRA), inflamao pulmonar, secrees espessas de muco nas vias areas, danos pulmonares extensos e cogulos sanguneos. Devido a essas complicaes, esse estgio da doena difcil de gerenciar. “Em muitos casos, os pacientes necessitam de ventilao mecnica invasiva e, ainda assim, um grande nmero deles no resiste”, frisam.

A equipe defende que a gravidade da Covid-19 pode ser causada pela ao exagerada de um elemento do sistema imune: os glbulos brancos, conhecidos tambm como neutrfilos. Quando eles esto hiperativos, h um lanamento excessivo de citocinas no corpo, chamada de tempestade de citocina, que pode danificar o aparelho respiratrio.

“A maioria dos pesquisadores do nosso grupo trabalhou com esse fenmeno em outras doenas e, quando comeamos a ouvir sobre os sintomas das pessoas com Covid-19, pareciam familiares”, conta, em comunicado, Mikala Egeblad, pesquisadora do Cold Spring Harbor Laboratory, nos Estados Unidos, e uma das autoras do estudo.

Os pesquisadores explicam que esse fenmeno ocorre quando os neutrfilos detectam micro-organismos invasores.  Eles, ento, expelem DNA para atac-los, junto com enzimas txicas chamadas NETs. As NETs podem capturar e digerir o patgeno indesejado, mas, no caso da sndrome da angstia respiratria aguda, podem danificar os pulmes e outros rgos. “Dadas as claras semelhanas entre a apresentao clnica da Covid-19 grave e de outras doenas conhecidas causadas por NETs, como a SDRA, propomos que o excesso dessas enzimas pode desempenhar um papel importante na doena”, diz Betsy Barnes, autora principal do estudo e pesquisadora do Instituto de pesquisa Feinstein, nos Estados Unidos

Jonathan Spicer, cientista e cirurgio torcico do Hospital da Universidade McGill, tambm nos EUA, e um dos autores do estudo, relata que testemunhou os efeitos devastadores da infeco por Covid-19 em vrios pacientes, o que, para ele, corrobora as suspeitas da tempestade de citocinas como um protagonista no avano da Covid-19. “Observamos, nesses pacientes, danos pulmonares graves, conhecidos como a SDRA.  Alm disso, as vias areas geralmente estavam entupidas com muco espesso e eles tendiam a formar pequenos cogulos em todo o corpo a taxas muito mais altas do que o normal. Essas tambm so caractersticas que podem estar relacionadas com NETs”, detalha.

 

(foto: -)
(foto: -)

 

Mais anlises 

Os pesquisadores ressaltam que so necessrias anlises mais minuciosas do fenmeno, mas acreditam que, caso as suspeitas se confirmem, uma nova srie de tratamentos poder ser desenvolvida contra a Covid-19. Eles cogitam tambm a possibilidade de uso de terapias prescritas para outras doenas ligadas tempestade de citocinas — como fibrose cstica, gota e artrite reumatoide.

Gesmar Rodrigues Silva, coordenador do Departamento Cientfico de Imunodeficincias da Associao Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI), destaca que o estudo levanta uma hiptese que tem sido bastante discutida na rea mdica. “Essa tempestade de citocinas algo que realmente pensamos que pode ocorrer, mas que seria apenas um dos fatores desse agravamento do paciente. Outras coisas podem estar envolvidas”, diz.

O mdico tambm ressalta que um ponto importante a ser esclarecido que no se sabe por que pacientes sofrem essa resposta intensa e outros, no. “Muitos especialistas acreditam que essa reao exagerada seria devido exposio a uma quantidade grande ao vrus. Isso porque casos mais severos foram detectados em pessoas que trabalham na rea de sade e que estiveram mais expostas. Mas tudo isso hiptese ainda”, contextualiza.

Para Gesmar Silva, caso a tempestade de citocinas seja realmente um dos fatores responsveis pelas infeces graves de Covid-19, novos medicamentos sero desenvolvidos focados nesse mecanismo. “Pode ser o caso de uso de imunossupressores, medicamentos prescritos como terapia para outras doenas em que esse problema imune ocorre. Mas precisamos tambm avaliar os riscos, j que podem surgir problemas adversos”, diz.

Fonte

Mostrar mais

Redação

INFORMAÇÕES DE CONTATO --- Ligar (67) 99257-2652 --- m.me/NotaDiariabr --- contato@notadiaria.com.br --- https://notadiaria.com.br/

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios